Limpeza de superficie na hora de pintar



Qualquer superficie na hora de pintar requer uma ótima limpeza, pois isso impede problemas futuros como descascamento e bolhas.

 

PREPARAR SUPERFÍCIES EXTERIORES

As primeiras impressões são de grande importância, por isso a manutenção da parte exterior da casa deve estar no topo da sua lista de prioridades. Tal como na decoração interior, o tempo passado no trabalho de preparação assegura os melhores resultados. É melhor começar a trabalhar na parte de cima da casa e depois ir descendo.

  ALGEROZES E CANALIZAÇÕES

Limpe o lixo que se possa ter acumulado e deite um ou dois baldes de água no algeroz para limpar o sistema. Os algerozes modernos de plástico requerem pouca preparação adicional, mas os sistemas mais antigos de ferro fundido têm tendência a enferrujar, o que pode deixar manchas inestéticas nas paredes e no reboco. Remova a ferrugem com uma escova metálica antes de colocar a subcapa e de pintar. Quando pintar as paredes novamente, deve tratar as manchas de ferrugem com um primário metálico, caso contrário vão ficar visíveis por baixo da nova pintura.

  MADEIRA PINTADA

As madeiras de exterior são utilizadas em impostas, sofitos e barrotes do beiral, assim como em superfícies inteiras como revestimentos em escama. A madeira nova deve ser lixada levemente, trabalhando no sentido dos veios da madeira. Retire todo o pó, depois limpe com um pano humedecido em diluente. Tape os nós com goma-laca e tape também as fissuras e rachas. A madeira já pintada deve ser lavada com detergente e água, passada com a lixa e limpa com um pano humedecido em diluente. Raspe a tinta lascada, não esquecendo que todas as áreas sem tinta devem levar uma subcapa e uma primeira demão da forma normal. Para as superfícies revestidas em escama, lave com uma solução de detergente, usando uma mangueira e uma escova de carro para conseguir chegar mais alto. Deixe secar durante uma semana. Substitua as secções mais danificadas e tape pequenas rachas com cola. Martele os pregos salientes e cubra com um primário metálico. Depois, proceda como para outros trabalhos em madeira.   PAREDES

O bolor é um problema comum nas paredes. Procure pequenas marcas brancas, alaranjadas, amareladas, verdes ou pretas e limpe-as imediatamente. Aplique um fungicida ou limpe com uma solução de lixívia na proporção de quatro partes de água para uma parte de lixívia. Deixe o primeiro durante 24 horas e depois lave com água limpa; a lixívia deve ser deixada a actuar durante 48 horas antes do enxaguamento. Os depósitos de bolor e de fungos são normalmente sinais de um problema mais grave, quase sempre humidade. Verifique como está a placa impermeável e procure canalizações com fugas, reboco com defeito e problemas com a alvenaria. As manchas brancas persistentes, conhecidas por eflorescencia, são fáceis de identificar. Aparecem na alvenaria nova à medida que esta seca e podem ser removidas com uma escova dura. No entanto, se houver eflorescencia na alvenaria antiga, é sinal de um problema de humidade, que deve ser detectado antes de iniciar qualquer tipo de trabalho.   SUPERFÍCIES DE ALVENARIA

Uma simples parede de tijolo pode ser muito bonita, por isso resista à tentação de a escurecer com uma camada de tinta. As paredes porosas precisam de tratamento com um repelente de água, para evitar que as águas da chuva penetrem, mas este pode ser o único tratamento necessário.

  REBOCO

Se o reboco existente estiver em péssimas condições, pode repará-lo com uma massa de exterior, enquanto as rachas mais pequenas desaparecem com a aplicação de tinta de alvenaria. Muitos dos entusiastas de bricolage também se sentirão confiantes em reparar grandes áreas com uma mistura de argamassa. No entanto, rebocar uma grande área ou uma parede completa estará para além da capacidade da maioria, pelo que se deve recorrer a profissionais. A única excepção a esta regra é a aplicação do acabamento Tyrolean, que é feito com uma leve mistura de cimento. Este é pulverizado com um aplicador de manivela de reboco grosso Tyrolean, que pode ser alugado. E possível controlar a textura do acabamento variando a distância entre o aplicador e a parede. De forma semelhante, pode variar o ângulo de aplicação para criar efeitos diferentes.   JANELAS E PORTAS

As janelas e portas de exterior podem ser tratadas da mesma maneira do que as outras madeiras de exterior. Comece por colocar massa de enchimento e por passar a lixa em rachas ou buracos da madeira. A madeira deve levar um primário e uma subcapa, enquanto a pintura defeituosa ou antiga precisa de ser lixada antes de se pintar por cima. Se a pintura existente estiver muito rachada e manchada, deve ser completamente retirada com um primário e aplicada uma subcapa e uma demão de tinta.

  PINTURAS EXTERIORES A melhor altura para se dedicar à pintura no exterior é no princípio do Verão ou no Outono, quando o tempo está bom, mas não demasiado quente. Lembre-se de que este trabalho será um projecto em maior escala do que uma decoração de interiores, por isso deve dispor de muito tempo para o terminar. Pode ter de o repartir por vários fins-de-semana ou tirar uma ou duas semanas de férias.   PAREDES

Existe uma grande variedade de tintas para a pintura de paredes. Escolha entre as tintas de cimento, fornecidas como pó seco para misturar com água, as tintas texturadas e as lisas de alvenaria, as tintas de emulsão de exterior (látex) e as tintas de óleo para exterior para revestimentos em escama. As tintas de alvenaria, podem normalmente ser usadas directamente da lata, mas, se pintar uma superfície porosa com um produto à base de água, será aconselhável diluir a primeira camada. Utilize uma proporção de quatro partes de tinta e uma parte de água. As tintas de exterior dispõem de grande variedade de cores, mas deve ter algum cuidado com os tons mais brilhantes. Os tons branco, creme, amarelo, azul, verde, rosa-claro e terracota, que combinam bem com o ambiente, são geralmente preferidos pelos compradores.

Quando iniciar trabalhos de pintura em larga escala, é muito prático dividir a tarefa numa série de módulos. Tente completar secções bastante grandes numa sessão: por exemplo, uma área definida por janelas do primeiro andar, indo de um dos lados do edifício até ao outro. Trabalhe em sentido descendente, usando os algerozes, as janelas e as portas para saber onde deverá terminar. As linhas de tinta já seca nestas áreas não serão visíveis quando começar novamente o trabalho.

Use uma escova para pintar as texturas mais grossas, como o reboco rústico. Aplique a tinta usando movimentos circulares e que penetrem bem na superfície. Para assegurar uma boa cobertura num acabamento de textura média, use um pincel de pêlos grossos e aplique a tinta com firmes pinceladas ou utilize um rolo médio. Em superfícies lisas rebocadas, um pincel grande ou um rolo médio são o ideal. Para melhores resultados, aplique a tinta em faixas verticais cruzadas por pinceladas horizontais.

PINTAR DEGRAUS A tinta para degraus existe normalmente em tons de vermelho com acabamentos mate ou brilhante.   USAR PISTOLAS ELÉCTRICAS

Esta é uma das formas mais rápidas de pintar uma parede, mas pode criar muita confusão. Tape sempre com fita adesiva as áreas que não quer ver pintadas e não mantenha a pistola muito perto da parede: uma distância de 225 mm é geralmente recomendada.Vá movendo a pistola ao longo da parede em faixas verticais e sobreponha cada uma em 100 mm para um acabamento perfeito.

  CANOS E ALGEROZES

Os novos canos e algerozes de plástico não necessitam geralmente de ser pintados. Os sistemas mais antigos podem estar desbotados, pelo que uma camada de tinta lhes dará um aspecto novo. Limpe a superfície com aguarrás, depois passe ligeiramente a lixa e retire o pó antes de aplicar a tinta. Os canos e algerozes de metal devem levar um primário, depois uma subcapa e uma demão de tinta. Comece pelo topo da área de trabalho e siga um sentido descendente. Se a tinta antiga dos canos e dos algerozes for betuminosa, terá de aplicar um primário de alumínio antes de tornar a pintar, para evitar que a tinta antiga repasse para a nova.   SUGESTÕES PRÁTICAS • Os pingos de tinta são tão problemáticos no exterior como no interior. Proteja todas as áreas vulneráveis com panos ou jornais. • Dado as vastas áreas a cobrir, faz sentido usar um pincel grande, de íoo ou de 150 mm, para os trabalhos de pintura de exterior. • Um rolo com cabo extensível vai ajudar a reduzir o tempo gasto a subir a um escadote.1 Comece a pintar a canalização de cima para baixo.   PINTAR MADEIRAS EXTERIORES

Muitos produtos foram concebidos para pintar madeiras de exterior. Nunca tente economizar usando tintas brilhantes de interior no exterior, pois não aguentam temperaturas extremas e lascam e racham rapidamente. Não tenha medo de experimentar cores vivas na madeira, mas escolha um acabamento que se harmonize e que não contraste com as outras casas da vizinhança.

  IMPOSTAS, SOFITOS, BARROTES DE BEIRAL E REVESTIMENTOS DE TÁBUAS EM ESCAMA

Escolha um dia seco e calmo para pintar e evite trabalhar directamente ao sol, uma vez que o brilho evitará que obtenha uma boa cobertura uniforme. Além disso, se utilizar uma tinta de água (látex), esta seca rapidamente deixando extremidades duras. Comece por aplicar um primário, depois aplique uma subcapa e finalmente uma ou duas demãos de tinta brilhante. Com uma tinta brilhante padrão, comece por aplicar a tinta na vertical e depois dê pinceladas horizontais para a misturar bem. Trabalhe no sentido dos veios da madeira, misturando as extremidades que ainda estão húmidas para um acabamento uniforme. Se usar uma tinta de uma só demão, aplique o acabamento em faixas grossas paralelas e não as sobreponha. Para o revestimento em escama, pinte primeiro as partes mais interiores e depois as superfícies, trabalhando na horizontal.

 

JANELAS

A madeira sem protecção deve levar um primário e uma subcapa, enquanto a madeira pintada já antiga ou danificada precisa de ser lixada primeiro antes de ser novamente pintada. Se a tinta existente estiver muito rachada e danificada, deve ser totalmente retirada e aplicado um novo primário e subcapa. As janelas de exterior devem ser pintadas de acordo com a sequência referida atrás para as janelas de caixilho e janelas de guilhotina de interior. No entanto, quando pintar uma janela de guilhotina, comece pela parte de baixo, ao contrário da pintura de interior, que deve começar pelo topo. Coloque fita adesiva antes de começar o trabalho ou use um escudo de tinta para proteger o vidro dos pingos. Lembre-se de deixar a tinta o mais perto possível do vidro para evitar que as águas da chuva penetrem nas madeiras.

  PORTAS E VEDAÇÕES

Se tiver uma porta bonita de madeira maciça, pense duas vezes antes de a cobrir com várias camadas de tinta. Pode preferir realçar a beleza natural da madeira através da aplicação de um corante ou de um verniz. Os corantes podem ser de água, de óleo ou à base de álcool e são aplicados directamente na madeira. Os de óleos de teca e dinamarquês também são perfeitos para portas de madeira maciça. Dão um acabamento durável à prova de água e melhoram o aspecto natural da madeira.

Aplique com um pano limpo ou pincel. A demão final pode ser aplicada com uma almofada de limpeza ou com palha-de-aço finíssima. Se quiser um acabamento com tinta durável, tenha em consideração um esmalte muito brilhante. Com este tipo de produto obterá os melhores resultados aplicando a tinta com moderação. Para vedações e anexos, existe uma grande selecção de tintas para madeira exterior em todos os tons. Muitas são à prova de água e amigas do ambiente, sendo, no entanto, suficientemente resistentes para aguentar os rigores do Inverno. As tintas especiais também foram desenvolvidas para ter maior resistência ao desgaste e às rachas.


Gostou desse artigo, vote:

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Sem votos)
Loading...

Você poderá comentar, ou fazer um trackback no seu site.

Comentar